Em não poucas situações muitas pessoas já tiveram algum contato com o câmbio de moedas. Seja por motivo de uma viagem ao exterior, para comprar um produto que seja comercializado em outro país ou por acompanhar no noticiário as oscilações das principais moedas do mundo. Em algumas dessas opções você já deve ter estado. E, pela importância que, normalmente, se dá para a informação do preço de diferentes moedas, é possível já compreender que isso tem alguma influência no mercado financeiro como um todo.

A verdade é que esse assunto não é tão complicado como parece. Claro que, à primeira vista, a infinidade de números assunta, mas esses números todos representam coisas muito próximas de nós. A economia, política, e também questões sociais, ambientes e outros temas que dizem respeito a uma nação têm um potencial muito grande de influenciar no valor da sua moeda e das demais que circulam no país. E é isso também que você vai compreender aqui. Em que consiste o câmbio de moedas, quais são os elementos que influenciam nele e como é feito o cálculo de se chegar ao valor de cada moeda, em determinado dia.

Mas antes de compreender a questão em seu cálculo e no que influencia nos números, vale a pena conhecer um pouco do que diz respeito ao contexto em que surge a conversão de moedas nos diferentes países. Saiba um pouco sobre isso agora.

O que é Câmbio?

Câmbio é a operação de trocar a moeda de um país pela moeda de outro país. Por exemplo, quando turistas brasileiros viajam para o exterior e precisam de moeda estrangeira, os corretores autorizados pelo Banco Central a operar no mercado de câmbio recebem sua própria moeda e vendem moeda estrangeira. Caso a moeda estrangeira seja deixada após a viagem ao exterior, o agente autorizado (corretor) pode recomprar a moeda estrangeira e pagar os reais correspondentes.

Principais operações de câmbio:

Os três principais negócios cambiais são para turismo, importação e exportação e negócios de remessas pessoais.

Conforme mostrado no exemplo anterior, as transações de câmbio estrangeiro na indústria do turismo são transações projetadas para converter a própria moeda na moeda de outro país para uso durante viagens. Essas trocas só podem ser realizadas em instituições autorizadas pelo banco central.

O negócio de câmbio estrangeiro de importação e exportação visa realizar transações comerciais com outros países. O interessante é que essas operações têm diferentes taxas de câmbio do dólar. Portanto, falamos sobre dólares de turismo e dólares de negócios.

Suponha que uma empresa brasileira queira comprar matéria-prima de uma empresa chinesa. Esta empresa chinesa só pode aceitar pagamentos em dólares americanos (e depois convertê-los em RMB localmente).

Portanto, a empresa brasileira deve primeiro converter reais em dólares americanos e depois pagar. Da mesma forma, se a empresa brasileira vender para um cliente na Argentina, o valor será recebido em dólares americanos ou pesos, e o pagamento deverá ser trocado por reais.

Por fim, remessa pessoal nada mais é do que enviar dinheiro de um país para outro. Por exemplo, é comum que brasileiros que trabalham nos Estados Unidos enviem dinheiro para suas famílias no Brasil.

Antes de enviar a remessa, a pessoa pode trocar a moeda do país de origem pela moeda do país de destino. Caso contrário, qualquer pessoa que receber a remessa poderá trocá-la.

Afinal, o que é taxa de câmbio?

Essa taxa é o preço que determinado país estipula para moedas estrangeiras que circulam dentro dele. Para ficar mais fácil de entender, imagine que você irá fazer uma viagem para qualquer país que utiliza o euro como moeda. Assim, você precisará procurar uma casa de câmbio para vender seus reais e comprar euros, correto? A taxa de câmbio, nesse exemplo, é o mesmo que perguntar: quantos reais você precisa para comprar um euro? Ou seja, respondendo a questão de outra forma, a taxa de câmbio é a variação de preço de uma moeda em relação a outra.

Para fazer essa troca de moedas, portanto, é preciso entender que as transações e regras são diferentes. Se você quer comprar uma moeda estrangeira em um banco, por exemplo, vale lembrar que o valor que você precisará pagar pela moeda por ser mais alto que aquela que propõe a taxa de câmbio do país.

No caso das instituições que vendem as moedas, são elas que determinam os preços de venda, o que geralmente não está tão acima do preço estabelecido no país. Por outro lado, se você tem a moeda e pretende vendê-la, o papel de decidir o valor será seu. Agora, vale lembrar que você conseguirá vender sua moeda estrangeira caso baixe o preço, em relação a taxa de câmbio do dia. Sim, fazer essas transações entre diferentes moedas é sinônimo de ter algum prejuízo.

E como funciona o mercado de câmbio?

As transações aqui acontecem 24 horas por dia, nos dias úteis. Esse tipo de funcionamento pretende atender a todos os fusos horários, de acordo com a abertura e encerramento do mercado nos diferentes países. Um aspecto interessante é que as operações sempre funcionam em duplas. Ou seja, se você pretende comprar uma moeda, é preciso oferecer outra em troca. Automaticamente você está alimentando o ciclo dos regimes cambistas. E é importante, ainda, lembrar que, quando você procura uma casa de câmbio para comprar uma moeda, passam a atuar uma série de personagens que farão sua transação valer ou não a pena.

No Brasil, por exemplo, como está o controle do Banco Central em relação a valorização das moedas estrangeiras (você entenderá isso logo em baixo), quais são as expectativas dos investidores, quais especulações para o futuro econômico do país, e outros elementos de peso.

Compreendendo isso, agora você vai conhecer a divisão da taxa de câmbio. Existem 3 tipos de regimes cambias. Cada um deles possuem vantagens e desvantagens, e se enquadram em diferentes situações. Acompanhe!

Câmbio Fixo

Esse é um tipo de regime cambial que propõe que a moeda do país seja valorizada de forma semelhança em relação a moeda estrangeira. Assim, se uma cresce a outra acompanha o mesmo ritmo. Isso acontece quando determinada autoridade monetária estabelece o valor de um moeda estrangeira no país, e o deixa fixo. O objetivo, com isso, é equilibrar as taxas de câmbio no país, entre as diferentes moedas que circulam. Uma vantagem dessa modalidade de câmbio é que o pais não contará com muitas oscilações e, automaticamente, tende a frear subidas e descidas da inflação.

Por outro lado, isso significa risco de prejuízo para o país, já que pôs uma barreira na moeda estrangeira e pode acabar influenciando negativamente na valorização do real. E essa moeda acaba não podendo ser valorizada, já que têm seu valor fixo, em relação a outra moeda.

Câmbio Flutuante

Oposto do câmbio fixo, nessa modalidade as transações diárias das moedas influenciam diretamente no seu valor. Ou seja, ele não é fixo, mas é alterado de acordo com a realidade de oferta e procura. Em um dia, por exemplo, suas taxas podem subir e descer várias vezes. E, são vários os motivos que influenciam nisso. Alguns deles, são: os preços dos juros no país onde a moeda circula, a inflação, aplicações de dinheiro de outros países, frequência de turistas movimentando setores específicos do mercado e importação e exportação. Ou seja, as moedas têm bons motivos para oscilarem, e fazem isso várias vezes.

É então que se define a cotação de determinada moeda estrangeira. Como se sabe o valor do euro ou dólar, por exemplo, no país? A partir da recorrência e intensidade de transações feitas entre os dois países, em questão de turismo, exportação e investimentos.

Câmbio Atrelado

Esse é o tipo de regime cambial menos conhecido. O câmbio atrelado é uma junção entre o câmbio fixo e o flutuante. Nesse caso, a taxa de câmbio é alterada inúmeras vezes em um único dia, por exemplo. E, para que o preço seja mantido dentro dos limites imposto pelo governo do país, há uma influência do Banco Central. A instituição detém o controle da compra e venda da moeda, e faz isso para que o valor de valorização ou desvalorização não ultrapasse os limites estabelecidos.

No Brasil, esse regime funciona há, aproximadamente, vinte anos.

Sim, mas como se chega ao valor de cada moeda, como se dá o cálculo para isso? É o que você vai entender logo após compreender quais as operações são feitas a partir do câmbio de moedas.

O que pode ser feito a partir do câmbio de moedas?

Se você pensa que o câmbio de moedas influencia apenas na venda e compra de outras moedas, para quem vai viajar para outros países, ou se influencia apenas nos investimentos do país ou de outros aqui, está engando!

Na verdade, o câmbio de moedas possui tão grande valor para um país por, dentre muitos aspectos, ele possui direta relação entre diferentes economias mundiais. Isso acontece porque trabalha com as moedas, o que significa lidar com a valorização de bens de uma determinada nação, e o quanto uma está apostando e valendo na outra. Confira agora algumas dessas transações. Aliás, veja em quantos aspectos elas podem influenciar em um país.

Pessoa física ou jurídica:

Transferências nacionais e internacionais;

Pagamentos, recebimentos e transferências internacionais;

Compra e venda de moedas de outros países;

Investimento em outros países;

Como funciona o cálculo?

No Brasil, como em muitos países, a moeda utilizada como referência é o dólar. É por isso que você, se acompanha o noticiário, sempre ouve falar sobre a cotação do dia. Esse valor influencia a vida de muita gente, sobretudo de quem faz compras no exterior e paga na moeda do país de onde vem a mercadoria e para quem vai fazer uma viagem. Mas antes de explicar o cálculo em si, vale lembrar que ele é composto por uma série de fatores.

Só para ilustrar, imagine o atual contexto em que o Brasil está vivendo. O que você que atrai o olhar de investidores estrangeiros? Dentre muitos fatores, a postura do país em relação ao combate a crise sanitária da Covid-19. Isso influencia porque, no final das contas, altera a forma de funcionamento do mercado e, consequentemente, de circulação de dinheiro no país. Isso torna o Brasil um bom lugar para acolher os investimentos, ou não!

E não é apenas isso, mas o andamento da política, economia, meio ambiente e outros aspectos da vida do país. E, com base nisso tudo, se faz o cálculo: quantos reais se precisa para comprar um dólar?

O resultado dessa conta significa o valor da taxa de câmbio para o dia. É assim, por exemplo, que você sabe qual moeda está se valorizando ou desvalorizando. E, inclusive, quando é o tempo mais apropriado para adquirir moedas estrangeiras. Se você pretende comprar moedas para viagem ou para investimento, passe a acompanhar esses dados e, montando um simples esquema, poderá compreender e identificar a tendência para a moeda específica, se ela tem sido valorizada ou desvalorizada. E você conseguirá saber disso a partir das motivações que tem influenciado nessa moeda, no contexto do país onde ela circula.

Qual a influência dessas instituições?

As instituições que atuam no Brasil pode fazer subir ou cair as taxas de câmbio das moedas estrangeiras. O Banco Central, por exemplo, influencia nisso. A justificativa disso é o fato de, como instituição reguladora no país, poder deter o valor de valorização de moedas, bem como permitir seu fluxo ou impedi-lo por determinado período de tempo. Sem falar que essa instituição possui parceria e diálogo com outros bancos que cumprem o mesmo papel, em outros países.

A depender das negociações feitas entre esses países (o que caracteriza a modalidade de câmbio flutuante), as taxas sobem ou descem. É por isso que é tão importante acompanhar e torcer pelo crescimento do país onde está a moeda estrangeira.

Algumas dicas

Já que você separou um tempo para entender mais sobre o funcionamento das taxas de câmbio no país, aproveite para conferir outros posts que tocam em assuntos semelhantes. Estes têm assuntos muito relacionados. Neles você pode saber mais sobre como enviar e receber dinheiro dos Estados Unidos e como enviar dinheiro para Portugal.

Aliás, o que pode tornar essa questão de câmbio um assunto difícil é o fato dele contar com não poucos fatores em sua composição. Questões sociais, como economia e política, e também meio ambiente, violência e segurança pública, de um país, influenciam nisso. Quanto mais um país investe em si mesmo mais atrai investimentos oriundos de outros países. E, consequentemente, mais vê sua moeda valorizada, equiparando-se às estrangeiras.

Aliás, com base nessas informações, você já deve ter uma ideia de como mensurar se as moedas estrangeiras têm tendência a aumento ou queda. Basta conferir como anda o país, quais as principais notícias, as últimas tentativas do governo, para acelerar o crescimento, as taxas de desemprego, criminalidade e outros tantos temas sociais. Se as previsões, segundo essas informações, não forem as melhores, pode esperar aumento no preço dos produtos (inflação). E, consequentemente, aumento nos preços das moedas estrangeiras e das taxas cambistas.

Aproveite que chegou até aqui para conhecer, mais a fundo, como os fatores mencionados influenciam nas taxas de câmbio. Essa é uma forma simples de conseguir prever as altas e baixas das moedas estrangeiras, acompanhando o andamento do país. Clique aqui e saiba mais.